24set
Em: 24/09/2018
A qualidade do ar, um fator imprescindível para uma qualidade de vida satisfatória da população de Volta Redonda, vai melhorar graças ao Termo de Ajustamento de Conduta!
O Termo de Ajustamento de Conduta assinado pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) com o Governo do Rio, já é considerado como um dos mais representativos da história da indústria brasileira. A empresa vai investir R$ 303 milhões em projetos e ações ambientais, como a instalação de filtros que vão reduzir bruscamente a poluição no ar de Volta Redonda e Região. O TAC é fruto de um extraordinário trabalho que envolveu vários segmentos da sociedade. A ação foi intermediada pelo deputado Christino Áureo quando estava à frente da Casa Civil.
– Intermediei o Termo de Ajustamento de Conduta incansavelmente para que a população tivesse garantida a melhoria contínua da qualidade de vida. Temos muito a comemorar visto que um dos símbolos da indústria Brasileira, que gera 9 mil empregos diretos no Sul Fluminense, vai estar apto a concorrer em pé de igualdade com indústrias mundiais do segmento por estar adaptada as modernas condições de produção – avaliou o deputado.
Os diversos processos industriais existentes na CSN possuem características de emissão específicas que abrangem desde gases a materiais particulados, o famoso “pó preto”.  Para cada tipo de atividade e de poluente haverá uma forma de controle mais adequada. A escolha do controle específico envolve fatores distintos, como o tipo de poluente, a quantidade da emissão, e a disponibilidade de tecnologia.  Para alívio da população  serão 35 ações para a mitigação dos impactos ambientais que beneficiarão diretamente 280 mil pessoas e, indiretamente, toda a população da região  Sul Fluminense do Estado do Rio de Janeiro.
Para Rita Souza, especialista em Convênios e Políticas Públicas e Responsabilidade Socioambiental, a assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta mostra a preocupação com o desenvolvimento sustentável, com mais qualidade de vida. “É necessário enfatizar que a totalidade dos recursos deste TAC serão investidos em programas na área ambiental com vistas a melhorar a qualidade de vida e reduzir custos no setor de saúde, ou seja, as condições de saúde também devem ser consideradas como resultado do desenvolvimento sustentável tendo em vista que circunstâncias ecológicas precárias são elementos prejudiciais à saúde da população de Volta Redonda”, disse.
Rita diz também que quem ganha com a assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta é a população de Volta Redonda.
– A crescente preocupação com as questões ambientais, as reivindicações da população do município somadas à ampliação da discussão com a empresa CSN, destacou a necessidade de maiores níveis de controle das atividades poluidoras na Usina Presidente Vargas e a aplicação de leis específicas. O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) surge como meio alternativo de resolução de conflitos no âmbito dos direitos coletivos onde todos saem ganhando: os funcionários da UPV, os moradores do Município e o meio ambiente. Sem dúvida, um presente para o futuro – concluiu.