28set
Em: 28/09/2017

Os resultados da 14a Rodada de Licitações de Petróleo e Gás, realizada hoje (26/9) pela ANP, confirmaram a perspectiva de retomada de crescimento da economia fluminense. O maior bônus do leilão do petróleo, de cerca de R $ 2,2 bilhões, foi oferecido para um bloco (C-M-346), localizado na Bacia de Campos, arrematado pelo consórcio formado pela Petrobras e a ExxonMobil Brasil.

Os efeitos na economia do Estado do Rio estarão concentrados na arrecadação dos royalties quando os blocos entrarem em produção e, ainda, no investimento das empresas na exploração. Cidades como Macaé e São João da Barra estarão entre os municípios que terão os maiores impactos positivos desses investimentos.

– O sucesso do leilão do petróleo confirma nossa perspectiva de retomada do crescimento econômico, que ocorrerá não apenas no setor de petróleo, mas também em outras áreas. Os resultados de hoje mostram o forte potencial da rodada de licitação do pré-sal em outubro, com forte e positivo impacto no Estado. – afirmou o secretário de estado da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo, que compareceu ao leilão.

O diretor- geral da ANP, Decio Oddone, disse que o diálogo que o governo do Estado tem mantido com as empresas do setor, assegurando a estabilidade regulatória, se refletiu no sucesso do leilão.

A 14a Rodada registrou a maior arrecadação da história, com mais de R $ 3,8 bilhões em bônus, sendo que o sucesso foi assegurado pelas áreas arrematadas na Bacia de Campos.

Christino Áureo reiterou que o objetivo do governo estadual é atrair investimentos garantindo, da sua parte, a competitividade do segmento de óleo e gás.

– Estamos dando sinais claros para o setor de óleo e gás de que o governo do Estado vai dar total previsibilidade no que diz respeito à regulação. Nosso objetivo é que o setor seja competitivo e eleve os investimentos, mas queremos também elevar a arrecadação e garantir que o desenvolvimento do setor de petróleo gere melhorias nos serviços prestados, pelo Estado, à população.

Há 10 anos não havia ofertas de áreas na Bacia de Campos. De acordo com o diretor-geral da ANP, a rodada de hoje confirmou o potencial exploratório da região e elevou as estimativas para o leilão do pré-sal, que será realizado no final de outubro.