23ago
Em: 23/08/2018

Christino luta pela manutenção do Repetro, apesar de existirem forças contrárias a manutenção dos incentivos que podem ameaçar esses investimentos na área de petróleo.

Na manhã do dia 20 de agosto, o deputado Christino Áureo destacou mais uma vez a importância do Estado do Rio lutar pela manutenção do Repetro (programa que reduz impostos para a cadeia petróleo). Ele lembrou que uma matéria recente publicada no jornal O Globo apontou o surgimento de diversos projetos e investimentos na área de petróleo e infraestrutura, com investimentos privados que chegam a pelo menos R$ 8,2 bilhões. Porém, sem os incentivos, esse quadro muda.

– Alguns ainda não perceberam que o estado do Rio não é mais o único produtor de petróleo do país. São Paulo já superou o Espírito Santo em produção, e oferece condições muito vantajosas para a atração de empresas do segmento. Se não lutarmos pela manutenção do Repetro, muito provável que esses investimentos que começam a surgir novamente no estado, não se tornem uma realidade.  

Christino explica que a própria Petrobras dá sinais de reação. Com a retomada do Comperj e outras ações, novos projetos privados estão concentrados na Região dos Lagos e no Norte Fluminense. Para se ter ideia, começam a ganhar corpo projetos no setor petrolífero em Macaé. É o caso do Parque Bellavista, um polo industrial privado onde estão instaladas 19 empresas do setor de petróleo, que vai triplicar de tamanho e o TEPOR, Terminal Portuário de Macaé, que já conta com uma área com Declaração de Utilidade Pública (DUP),  ação conquistada por Christino, fundamental para viabilizar o empreendimento.

A perspectiva de crescimento das atividades petrolíferas estimulou o planejamento dos Terminais de Ponta Negra (TPN), na Praia de Jaconé, entre Maricá e Saquarema, voltado a atender a indústria de óleo e gás com o desenvolvimento dos campos no pré-sal. O projeto da DTA Engenharia prevê investimentos de R$ 5,2 bilhões e a geração de 20 mil empregos diretos e indiretos em plena operação. Embora o projeto enfrente oposição do Ministério Público Estadual do Rio de janeiro (MPRJ), por supostamente afetar arenitos de praia (beach rocks), os executivos da DTA Engenharia acreditam receber em breve a licença de instalação pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para dar início às obras. O processo de licenciamento está em curso há cinco anos.

Este é um projeto que tem zero de subsídio, de subvenção, de benefício fiscal. É 100% de capital privado, e temos parceiros interessados em formar consórcios no negócio. — disse Fernando Siriani, diretor da DTA Engenharia.

Em São João da Barra, no Norte Fluminense, a Prumo Logística, que opera e desenvolve o Porto do Açu, vai investir R$ 3 bilhões na construção de uma usina térmica a gás e de uma estação de regaseificação (para transformar o gás em estado líquido em gasoso). O projeto deve gerar três mil vagas.

A frente da Casa Civil, Christino destacou que houve muitas demandas para o segmento, inclusive de chineses.

— Apesar da crise política, as empresas de petróleo demonstram confiança, já que os desembolsos serão apenas a partir de 2018. Estamos recebendo algumas consultas. Há muito apetite dos chineses. A China é a maior produtora de bens de capital e está em busca de oportunidades de investimentos na área de petróleo.