04maio
Em: 04/05/2022

A pauta foi o reconhecimento de Macaé, Campos e entorno como segunda região metropolitana do Estado do Rio

O presidente da Frente Parlamentar para o Desenvolvimento Sustentável do Petróleo e Energias Renováveis (FREPER), deputado federal Christino Áureo (PP-RJ), juntamente com o prefeito de Campos dos Goytacazes, Wladimir Garotinho, e o jornalista e consultor de relações institucionais, Mauro Silva, se reuniu nesta terça-feira (3), em Brasília, com o Ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Reafirmar a importância do Norte Fluminense, com enfoque em Macaé, Campos e seu entorno, como segunda região metropolitana do Estado do Rio, foi o principal assunto da reunião. Na ocasião, também foram discutidos temas como desenvolvimento integrado e de setores produtivos.

O deputado federal Christino Áureo, do Progressistas, partido presidido nacionalmente por Ciro Nogueira, foi quem articulou o encontro.

O papel de Macaé, Campos e municípios próximos, com destaque na produção de petróleo e gás, é fundamental para o crescimento de todo o Estado do Rio e de todo país. Está na hora de sermos vistos, respeitados e reconhecidos como nova região metropolitana, com o protagonismo nacional que é devido pelo lugar que ocupamos na economia – afirmou deputado federal Christino.

Presidente da Organização dos Municípios Produtores de Petróleo (Ompetro), o prefeito Wladimir Garotinho, destacou demandas estratégicas do município.

– O Estado do Rio, a região metropolitana de Campos e entorno, estará dando em curto prazo ao Brasil a 5ª posição como maior produtor e exportador de petróleo e gás do mundo. Mas para essa região crescer, é preciso infraestrutura e serviços compatíveis ao que oferecemos ao país. Esse encontro com o ministro Ciro Nogueira, é um marco para a conquista desse protagonismo – pontuou Wladimir.

O jornalista Mauro Silva ressaltou a necessidade de integração para que a região seja reconhecida.

É necessário diálogo e integração para dar a Campos e região o protagonismo merecido. Afinal, nosso petróleo, gás e outros insumos, beneficiam o país inteiro – frisou Mauro.

Falta retorno dos recursos aplicados – O presidente da FREPER lembrou ainda que os recursos que o Estado do Rio envia, não retornam em forma dos investimentos estratégicos para o desenvolvimento desta indústria, que move a economia nacional.

– Não tem cabimento o Estado do Rio continuar assistindo os recursos gerados aqui indo para todo o Brasil, sem a contrapartida na dimensão dessa expressão – lembrou Christino.

O Ministro e sua equipe se comprometeram a montar um calendário para o desdobramento das pautas.